Orçamento financeiro – O que é, quando e como fazer?

O que é um orçamento financeiro?

Um orçamento financeiro é uma ferramenta essencial para controlar as finanças, tanto pessoal quanto empresarial – se torna ainda mais efetivo quando combinado a um planejamento financeiro. Trata-se de um documento detalhado no qual você registra suas receitas e despesas atuais e esperadas durante um período específico. 

Com um orçamento bem estruturado, é possível gerenciar de forma eficiente os gastos do dia a dia, priorizar investimentos e alcançar metas financeiras pessoais e/ou familiares. Da mesma forma, quando falamos de empresas, o orçamento é crucial para monitorar o desempenho financeiro, identificar oportunidades e garantir a sustentabilidade do negócio a longo prazo. 

Para fazer um orçamento fácil e eficaz, é fundamental ter clareza dos números do negócio e utilizar ferramentas adequadas que simplifiquem o processo de acompanhamento das finanças, promovendo uma gestão financeira mais sólida e bem-sucedida. 

 

Quando fazer um orçamento financeiro?

Não existe resposta certa sobre quando fazer um orçamento. É uma prática fundamental e muito recomendada em qualquer fase, seja para pessoas ou empresas. No caso de pessoas, o ideal é que se inicie o planejamento orçamentário logo quando começar a gerar renda, garantindo, desde o início, uma gestão mais eficaz dos ganhos. 
 
Para empresas, o ideal é que um orçamento seja elaborado antes do início de cada período fiscal, permitindo uma visão clara das receitas e despesas esperadas. Além disso, é recomendado revisar e ajustar o orçamento, ao contrário do que se pode imaginar, o orçamento é uma ferramenta fluida, que deve ser ajustada para refletir mudanças que ocorrerem na vida e desenvolvimento do negócio. 
 
Aqui, vale a máxima: quanto antes, melhor. Quanto mais cedo for implementado e mais frequentemente for revisado, melhor será o controle financeiro e melhores serão as decisões tomadas a partir dele.

 

Qual a função e os benefícios de um orçamento financeiro?

Vimos que o orçamento desempenha um papel muito importante, já que ele proporciona uma gestão financeira melhor.  
 
Sua principal função é facilitar o acompanhamento dos números e os ajustes de rota que se façam necessários. Ele permite identificar fontes de receita e planejar despesas de forma consciente. Ao fazer um orçamento familiar ou empresarial, o indivíduo consegue monitorar seus gastos, identificar áreas onde pode economizar e garantir que as finanças estejam alinhadas com seus objetivos de curto, médio e longo prazo. 
 
Os benefícios do orçamento são muitos, dentre eles: uma melhor compreensão dos hábitos de gastos, redução do estresse financeiro, capacidade de economizar para emergências e objetivos futuros, construir uma base sólida para o crescimento financeiro sustentável.  
 
Um orçamento não só ajuda a controlar as finanças, como também impulsiona a educação financeira pessoal e de empresas, embasando as diversas decisões financeiras que serão tomadas ao longo do tempo.

 

Como construir um orçamento?

Construir um orçamento não precisa ser uma tarefa complicada. Mais do que criar o orçamento perfeito, o foco deve estar na constância de preencher, atualizar e acompanhar a ferramenta.  

Aqui estão algumas boas práticas na hora de construir um orçamento financeiro: 

  • Seja realista: Certifique-se de que o que você espera de receita e despesas seja realista. Consulte dados históricos, se possível, e leve em consideração fatores como sazonalidades e imprevistos. 
  • Priorize as metas financeiras: Identifique e priorize suas metas financeiras, como economizar para emergências, pagar dívidas, investir em educação ou planejar um grande investimento. Alinhe o orçamento com essas metas para garantir que você esteja direcionando seus recursos de forma eficaz. 
  • Acompanhe os gastos: Mantenha um registro detalhado de todos os gastos, seja por meio de um bloco de anotações, caderninho, aplicativo de orçamento, planilha ou outra ferramenta, o importante é manter o registro. Isso ajudará a entender para onde está indo seu dinheiro e identificar áreas onde pode cortar ou ajustar despesas. 
  • Revise e ajuste regularmente: Um orçamento não é algo estático. É importante revisar e ajustar regularmente para refletir mudanças em sua situação financeira, metas ou circunstâncias pessoais. Fazer ajustes conforme necessário mantém seu orçamento relevante e eficaz ao longo do tempo. 
  • Mantenha a disciplina: Cumpra o orçamento o máximo possível e evite desvios desnecessários. Desenvolva hábitos financeiros saudáveis, como pagar suas contas em dia, evitar dívidas desnecessárias e poupar regularmente. A disciplina é fundamental para o sucesso de qualquer orçamento. 

Construir um orçamento que realmente ajude de maneira eficiente envolve organização, categorização e monitoramento constante dos hábitos e das finanças.

 

Orçamento pessoal

O orçamento pessoal é essencial para o controle e manutenção da saúde financeira do indivíduo. Como falamos anteriormente, ele permite o planejamento e monitoramento dos gastos, receitas e investimentos, identificando áreas de economia e oportunidades de investimento mais inteligentes. 

Com aplicativos ou planilhas, o processo pode ser simplificado, deixando mais fácil de tocar no dia a dia. Seja o seu objetivo economizar para viajar, comprar uma casa, ou poupar com mais constância, estabelecer metas financeiras tangíveis, funciona como um motivador para manter o acompanhamento do orçamento em dia. Saiba mais sobre orçamento pessoal aqui.

 

Orçamento empresarial

Quando olhamos para o orçamento no contexto de uma empresa, a ferramenta se faz ainda mais indispensável. O orçamento empresarial é essencial para a gestão financeira e o sucesso de qualquer empreendimento. Ao implementar um planejamento orçamentário sólido, as empresas podem ter uma visão clara das receitas e despesas projetadas, permitindo uma alocação de recursos mais estratégica, além de gerenciar melhor as oportunidades para maximizar lucros e minimizar custos. 

Isso envolve a análise cuidadosa de todos os aspectos financeiros do negócio, desde despesas operacionais até investimentos em cada área/setor. Utilizar ferramentas especializadas de orçamento empresarial pode simplificar esse processo, fornecendo insights valiosos e facilitando a tomada de decisão.

Assim como no orçamento pessoal, é crucial revisar regularmente o orçamento empresarial para garantir sua relevância e precisão, especialmente em um ambiente empresarial em constante mudança. Saiba mais sobre orçamento empresarial aqui.

crescento consultoria financeira
crescento consultoria financeira

Orçamento Pessoal

O que é um orçamento pessoal?

Um orçamento pessoal é uma ferramenta essencial para o controle financeiro individual e/ou familiar. Ele permite que uma pessoa organize suas finanças, estabeleça metas realistas e monitore seus gastos e receitas ao longo do tempo. Utilizando ferramentas como planilhas de orçamento no Excel, é possível categorizar despesas mensais, acompanhar padrões de gastos e identificar áreas para economizar. Com um orçamento pessoal mensal, é possível manter o controle financeiro de forma mais eficaz, garantindo que o indivíduo ou cada membro da família – no caso do orçamento familiar – contribua para a saúde financeira.  

Confira a Planilha de Controle Financeiro Mensal gratuita da Crescento. 

Ao implementar um controle de orçamento pessoal, é possível planejar com antecedência, evitar gastos desnecessários e trabalhar em direção a objetivos de curto, médio e longo prazo.

 

Qual o melhor momento para fazer o orçamento pessoal? 

O momento ideal para fazer o orçamento pessoal pode variar de pessoa para pessoa, mas, quanto antes organizar as finanças, melhor. 

Muitos especialistas financeiros sugerem iniciar o controle de orçamento pessoal mensalmente, logo no início de cada mês. Isso permite que os indivíduos tenham uma visão clara de suas finanças desde o início do período, ajudando a planejar e monitorar os gastos ao longo do mês que se inicia. 

Sempre bom lembrar: independente do momento escolhido, o importante manter a consistência e revisar o orçamento com frequência para acompanhar eventuais mudanças nos planos e na vida. A prática e a consistência são fundamentais para alcançar estabilidade financeira. 

 

Como fazer um orçamento pessoal?

Já vimos que fazer o orçamento pessoal é essencial para manter as finanças sob controle e alcançar metas pessoais. Mas, como começar?  

Existem ferramentas como o Excel e aplicativos, que podem ajudar. Buscar a ajuda de um consultor e especialista também pode facilitar muito esse processo de construção do orçamento, permitindo a organização e categorização das despesas de forma clara, correta e acessível.  

Dentre as etapas essenciais para construção de um orçamento pessoal eficaz, podemos destacar:  

  •  Avaliação: O primeiro passo é fazer uma avaliação da sua situação financeira atual. Reúna informações sobre sua renda mensal, receitas, despesas fixas (como aluguel, educação etc.) e despesas variáveis (como alimentação, transporte, lazer). Isso ajudará você a ter uma visão clara e geral da sua vida financeira no presente. 
  • Estabeleça metas: Defina seus objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo. Isso pode incluir economizar para uma viagem, pagar dívidas, criar um fundo de emergência, entre outros. Essas metas precisam ser realistas. 
  • Classifique os gastos: Divida as despesas em categorias, como moradia, transporte, alimentação, lazer, dívidas, poupança etc. Isso ajudará a identificar para onde está indo o seu dinheiro e onde você pode fazer ajustes, reduções se necessário. 
  • Estabeleça um limite: Com base em sua renda líquida (o que ganha menos o que gasta) e metas financeiras, defina limites de gastos para cada categoria de despesa. Isso te ajudará a não gastar além do que pode pagar. Você também saberá se está alocando recursos adequadamente para alcançar seus objetivos. 
  • Acompanhe os gastos: Registre todas as suas despesas e compare no mês a mês para identificar padrões ou desvios que podem ajudar a deixar a projeção futura ainda mais ajustada. 
  • Faça ajustes conforme necessário: À medida que sua situação financeira ou prioridades mudam, faça ajustes no orçamento. Isso pode envolver realocar fundos de uma categoria para outra ou reavaliar as metas financeiras. 
  • Crie um fundo de emergência: Destine parte de sua renda para um fundo de emergência. Essa reserva pode te salvar em caso de despesas inesperadas com saúde, casa ou veículo. 
  • Revise e ajuste regularmente: Um orçamento pessoal não é algo estático. É importante que você consiga fazer revisões sempre que houver alguma necessidade ou mudança nos planos para que ele siga fazendo sentido. 

 

Qual a importância de um orçamento pessoal? 

A importância de um orçamento pessoal não pode ser subestimada quando se trata de manter as finanças em ordem e alcançar seus planos. Um orçamento pessoal permite um controle eficaz dos gastos e receitas, garantindo uma visão clara das finanças. 

Com um orçamento pessoal mensal, é possível identificar áreas onde pode economizar, se planejar para despesas futuras e evitar surpresas desagradáveis. Além disso, você pode utilizar ferramentas, como aplicativos ou o Excel para criar um orçamento financeiro pessoal. Deste modo, você consegue organizar e categorizar suas finanças de forma visual, fácil e acessível. 

Ao estabelecer metas financeiras realistas e monitorar regularmente o orçamento, você conquista maior tranquilidade, evita ansiedade e segue no caminho para alcançar sonhos de longo prazo, como comprar uma casa ou planejar aposentadoria. Em resumo, um orçamento pessoal é uma ferramenta indispensável para promover uma gestão financeira saudável e alcançar estabilidade econômica ao longo da vida. 

 

Orçamento familiar

O orçamento familiar é uma ferramenta essencial para garantir a estabilidade financeira de uma família e alcançar objetivos financeiros de curto e longo prazo. Ao implementar um orçamento financeiro familiar, os membros da família podem acompanhar de perto suas receitas e despesas, identificando áreas de oportunidade para economizar e investir de forma inteligente. 

Com um orçamento familiar mensal em vigor, é possível se planejar com antecedência para despesas regulares, como contas domésticas e despesas com educação, além de economizar para emergências e objetivos futuros. 

 Ao envolver todos os membros da família no processo de organização financeira, é possível promover uma cultura de responsabilidade com o dinheiro e incentivo a educação financeira.

 

O que é a regra do 50 30 20?

A regra do 50 30 20 é uma diretriz de orçamento pessoal que divide o salário mensal em três categorias principais: 50% para despesas essenciais, 30% para gastos pessoais e 20% para economias.  

Essa é uma estratégia genérica e simples que pode ajudar algumas pessoas a gerenciarem suas finanças de forma mais equilibrada, priorizando despesas cruciais, como moradia e contas, enquanto reservam uma parte para despesas pessoais e economias.  

Ao aplicar a regra do 50 30 20, os indivíduos podem garantir que estejam gastando dentro de seus meios e ainda assim reservando uma porção significativa de sua renda para economias de longo prazo, como fundo de emergência ou aposentadoria. 

Essa prática, quando feita com consistência, promove uma saúde financeira a longo prazo. No entanto, educação financeira, planejamento e orçamento vão além de regras e podem proporcionar benefícios ainda mais concretos e duradouros.

Importante lembrar que a regra do 50 30 20 é uma dica simples, que pode ser útil dependendo da fase da vida em que você está. Às vezes dá para economizar mais, outras vezes menos. Afinal, a vida é cheia de surpresas e é por isso que é importante planejar. 

Que tal dar o primeiro passo hoje? – Baixe agora a Planilha Gratuita de Controle Financeiro Mensal da Crescento. 

 

orçamento

Saúde Mental e Saúde Financeira: Equilibrando a Mente e o Bolso

texto por Mariana Celete

O que é Saúde Mental?

Antes de falar da importante relação entre Saúde Mental e Saúde Financeira, devemos entender o que é Saúde Mental. Podemos pensar a Saúde Mental por vários aspectos, mas gostaria de começar trazendo o conceito da Organização Mundial da Saúde (OMS) que a define como

“um estado de bem-estar em que o indivíduo realiza suas capacidades, supera o estresse normal da vida, trabalha de forma produtiva e frutífera e contribui de alguma forma para sua comunidade”.

Este conceito pode parecer simples e as vezes até óbvio, mas na prática pode não ser tão simples assim. O debate sobre a importância de falarmos sobre a saúde mental têm aumentado nos últimos anos, mas o sofrimento psíquico continua sendo pouco reconhecido e legitimado não apenas no senso comum, mas também nos ambientes familiares, de trabalho e até nas políticas públicas. Quantas vezes já ouvimos: “Você não tem nada, isso é só psicológico”; “isso tudo é coisa da sua cabeça “ou “se você realmente se esforçar, você vai sair dessa”. Poderia ficar descrevendo inúmeras situações e falas ainda muito recorrentes, onde fica claro que esta conscientização ainda precisa ser muito disseminada.

A importância da prevenção

No mundo ideal, a prevenção ainda é uma grande alternativa. Reconhecer e valorizar que a forma como conduzimos a nossa vida, a forma como elaboramos e lidamos com nossas emoções são essenciais para prevenir, perceber e tratar daquilo que nos afeta.

O processo de adoecimento nunca acontece de uma hora para outra e sem nos avisar. Começamos com algum incômodo, uma tensão, uma alteração no apetite, no sono e até alterações nos nossos exames; acarretando futuras doenças. Se escolhermos um caminho de negligências, mais cedo ou mais tarde esta conta chega, seja ela pela via física ou emocional; afinal temos a tendência de deixar estas questões de lado, acreditar que vai passar, ou que é apenas uma fase.

O que isso tem a ver com Saúde Financeira? T-U-D-O

A relação entre saúde mental e a forma como lidamos com o dinheiro é uma via de mão dupla, pois ambas têm um fator comum: as emoções! Quem nunca ouviu a seguintes frases: “Hoje foi um dia tão difícil, eu estou merecendo comprar alguma coisa”, “Estou tão feliz, vamos comemorar sem pensar no amanhã” ou ainda “Dinheiro foi feito para me fazer feliz”. São inúmeros os exemplos que posso relatar, mas o que quero dizer é que muitas vezes o que sentimos têm influência direta na forma pela qual administramos nosso dinheiro.

Ter saúde mental é não viver em função do dinheiro, nem viver sem pensar nele. É ter parcimônia, controle, saber fazer escolhas e saber aproveitar tudo que ele nos traz. É inevitável, vivendo em um mundo capitalista, que precisemos saber lidar com o dinheiro. Mas ele não deveria ser o motriz da nossa vida. Saber o que nos inspira, o que nos motiva, o que nos faz acordar todos os dias deveria vir em primeiro lugar. Em seguida, podemos pensar que o dinheiro pode ser capaz de me ajudar a realizar muitos sonhos; mas que ele também deve ser capaz de me levar até o futuro.

Lembro de ter trabalhado, em consultório, muitos casos onde a forma de se relacionar com o dinheiro não era sadia. Um caso específico me chamou bastante atenção na época – um homem, na meia idade, muito bem-sucedido profissionalmente me procurou porque havia passado a vida inteira almejando crescer e fazer muito dinheiro. Passou grande parte da vida com este objetivo e quando foi alcançado, percebeu que estava sozinho. Não construiu uma família, não manteve seus amigos e os pais estavam bem idosos. Sentiu um grande vazio e percebeu que ter o dinheiro que queria, mas viver sozinho, não fazia o menor sentido.

Para mim, o grande segredo da vida emocional e financeira é saber elaborar o que nos aconteceu no passado, para que no presente eu seja livre para construir o meu futuro.


Quer saber mais?

Durante o mês de setembro, decidimos trazer o tema da saúde mental de uma perspectiva diferente: durante os seis anos de trajetória da Crescento, apoiando pessoas e empresas com acompanhamento financeiro, pudemos perceber o quanto a saúde mental e as emoções também afetam a vida financeira. Pensando nisso, convidamos dois profissionais experientes, o Psiquiatra David Sender e a Psicóloga Neíla Kessler para uma bate-papo sobre Saúde Mental e Saúde Financeira. O papo tá muito rico e você pode conferir clicando aqui.

Se quiser acompanhar os melhores momentos dessa conversa que traz dados, experiencias e dicas úteis veja spoliers aqui.

conheça melhor como a Crescento pode te ajudar a ter mais saúde financeira aqui.